Como funciona o sistema de bagagem em voos nacionais

Bagagens em voos nacionaisQuem vai viajar de avião pelo Brasil, precisa ficar bastante atento às regras de malas e bagagens. Por mais que as companhias aéreas disponibilizem as informações, sempre fica uma dúvida sobre o que pode e o que não pode ser levado.

Recentemente, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou uma mudança importante relacionada a esse assunto. Embora esteja quase um ano em vigor, muitas pessoas estão viajando pela primeira vez e podem não entender como funcionam as novas normas.

Para deixar tudo esclarecido, vamos explicar como era e como ficou o sistema para levar bagagens em voos nacionais. Acompanhe o texto até o final e esclareça suas dúvidas.

Bagagens em avião: como era

Até maio de 2017, todo passageiro que comprasse um bilhete para viajar em trechos nacionais, tinha direito a levar uma mala grande no avião. Quando falamos em “mala grande”, queremos dizer que a pessoa podia levar até 23 kg de bagagem. Além disso, o viajante também tinha direito a levar uma bagagem de mão (mochila, sacola, bolsa).

Bagagens em avião: como era

Nessas condições mencionadas acima, o cliente só pagaria uma taxa extra se ultrapassasse o limite de 23 kg da mala grande. Portanto, o seu direito de levar um bom volume de bagagem era garantido e, até então, gratuito.

Bagagens em avião: como ficou

Em maio de 2017, no entanto, aconteceu a grande mudança nas normas de bagagem. A partir deste período, qualquer pessoa que viaja por uma companhia aérea pelo Brasil, deve pagar um valor adicional caso queira levar sua mala grande no avião. A bagagem de mão continua permitida e gratuita, mas tem limite de 10 kg.

Bagagens em avião: como ficouEssa alteração gerou novas fontes de cobrança para as empresas aéreas, pois deixou o passageiro sem escolha. Se quiser levar mais bagagem, vai ter que pagar por isso. Na tentativa de amenizar o impacto no bolso do cliente, as companhias oferecem “descontos” para quem pagar a taxa de bagagem antecipadamente.

Mesmo assim, a maioria das pessoas opta por driblar esse custo, e acaba fazendo de tudo para levar mais volumes na bagagem de mão. O resultado é o bagageiro interno lotado, enquanto o compartimento do porão da aeronave fica mais vazio.

Redução dos preços das passagens

Quando as novas regras de bagagens foram anunciadas, havia a promessa de as companhias aéreas reduzirem o valor das passagens. Mas o que tem acontecido é exatamente o oposto. Como era de se esperar, as companhias não cumpriram o discurso e estão elevando as tarifas gradativamente.

Redução dos preços das passagens

Para piorar, novas taxas estão sendo cobradas pelo que, até então, eram direitos dos clientes. A empresa Gol, por exemplo, passou a cobrar um valor para o passageiro reservar um assento com antecedência. Se a pessoa quiser viajar acompanhado de seu amigo ou familiar, vai ter que pagar por isso. É o verdadeiro exemplo de criar dificuldades para vender facilidades.

Colaborou: https://www.facebook.com/machobr/